Arquivo do mês: agosto 2009

O jornalismo colaborativo no Rio Grande do Sul – Artigo

Enfim, o quarto e último artigo. “Jornalismo colaborativo no Rio Grande do Sul: o caso de zerohora.com” trata da ferramenta Leitor-Repórter, que permite aos usuários do site do jornal Zero Hora o envio de conteúdo de sua autoria.
Mais do que exibir os mecanismos de funcionamento deste canal específico, o artigo se propõe a discutir o jornalismo colaborativo como um todo, desde a expectativa do usuário ao compartilhar um registro feito por ele às razões pelas quais a figura do jornalista segue sendo fundamental.

“Jornalismo colaborativo no Rio Grande do Sul: o caso de zerohora.com” – Cristine Kist, agosto de 2009.

Mídias sociais em eventos e vídeo

Post dois em um: eventos em Porto Alegre e um vídeo com dados interessantes para quem gosta de discutir mídias sociais.

– Na próxima segunda-feira, dia 24 de agosto, acontece na PUCRS o V Fórum de Internet Corporativa. O evento começa às 13h30 e conta com dois palestrantes: o filósofo Pierre Lévy, considerado um grande pensador da cibercultura, e o jornalista Caio Túlio Costa. Haverá ainda um painel sobre convergência digital e inovação, com representantes das empresas Nokia, Terra e GAD’Innovation. A mediação será da jornalista Sandra Carvalho. As pré-inscrições já foram encerradas, mas você ainda pode se credenciar até as 13h no dia do evento. Os valores e a programação completa podem ser conferidos no site oficial. Outras informações e notícias sobre as edições anteriores podem ser obtidas no blog do Fórum.

– Já nos dias 21 e 22 do mês de setembro, a Feevale promove o 3° Seminário de Blogs, Redes Sociais e Comunicação Digital. O período para envio de trabalhos já está encerrado, mas as inscrições vão até o dia 20/09. Entre os ministrantes estão André Pase e Ana Brambilla, nossos professores na Famecos. Haverá também oficinas e grupos de trabalho. Para conferir a programação completa do evento, clique aqui.

*******

– O Socialnomics – Social Media Blog divulgou recentemente um vídeo com dados sobre as mídias sociais no mundo. A partir da pergunta “Mídias sociais são uma moda passageira?” – “Is social media a fad?” –, a compilação traz estatísticas interessantes como, por exemplo, a de que a cada oito casais que se casaram nos Estados Unidos no ano passado, um se conheceu via mídias sociais. A lista completa com os dados e as fontes de cada um pode ser acessada aqui.

Abaixo, você confere o vídeo “Social Media Revolution”:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Clay Shirky e as mídias sociais a favor da democracia

Para quem gosta de pensar sobre as implicações sociais da internet, Clay Shirky faz uma análise interessante do uso das mídias sociais como ferramentas a favor da democracia nesta palestra publicada em junho pelo TED (Technology Entertainment Design).

No vídeo, o autor de Here Comes Everybody destaca três exemplos: o Video The Vote (site usado para postar vídeos durante as eleições presidenciais americanas em 2008, numa espécie de observação cidadã das votações); o episódio do terremoto na província chinesa de Sichuan, em maio de 2009, quando a população venceu a censura do país e usou a internet e o celular para noticiar a tragédia para todo o mundo; e o uso de mídias socias na campanha de Obama (Shirky vê como “o uso mais criativo que já existiu” em termos de mídia social).

A palestra foi dada em inglês, mas é possível assistir o vídeo com legendas em português. É só clicar em “View subtitles” ali embaixo.

Sobre o uso de mídias sociais como forma de burlar a censura em regimes autoritários, confira também Twitter e eleições no Irã – artigo.

Celebridades e fãs: aproximação virtual – artigo

Na terceira semana de postagem de artigos, o assunto da vez é “blogs e celebridades”.

Inicialmente utilizados como diários virtuais, atualmente os blogs são uma importante ferramenta para áreas como Jornalismo e Publicidade. Ainda assim, as pessoas continuam buscando seu espaço na web. E é através dos blogs que as celebridades buscam esse espaço e estabelecem um canal de comunicação com seu público-leitor, composto basicamente por fãs.

Mas, afinal, o que leva as celebridades a divulgarem e falarem sobre as experiências mais pessoais em um espaço tão público e visado como o blog? Se o objetivo fosse deixar que os fãs se interassem sobre a vida do ídolo, os jornais e revistas voltados para esse tipo de notícia poderiam cumprir a tarefa. Este artigo mostra que, mais do que simples relatos, os famosos buscam uma aproximação com a realidade cotidiana dos leitores e dos fãs.

“A nova disposição dos diários íntimos: confissões via blogs” – Idiana Tomazelli, junho de 2009.

Ópera é composta via Twitter

Desde o lançamento do Twitter, em março de 2006, o serviço de microblogging passou a ser utilizado como minidiário virtual, página de divulgação de conteúdo, ferramenta de publicidade de empresas e palco de manifestações, como as dos ativistas do Irã no conflito pós-eleições (leia o artigo de nossa blogueira Giuliana de Toledo sobre o assunto). Mas novidades continuam surgindo na rede social: a Royal Opera House, de Londres, está montando uma ópera em cima de mensagens enviadas em inglês por usuários do Twitter.

O projeto começou no dia 3 de agosto deste ano, segundo o blog da Royal Opera House. Na página, pode ser conferido o início da história proposto pelos criadores da ideia, assim como atualizações e uma lista com os últimos tweets. Para participar, basta enviar uma mensagem para a página no Twitter do projeto: http://twitter.com/youropera. Só são aproveitadas as mensagens em inglês.

A ideia da Royal Opera House é inovadora por utilizar-se do Twitter, mas não é a primeira na web. Em Nova York, uma orquestra composta de 90 músicos de 30 países, escolhidos pela internet, fez uma apresentação no Carnegie Hall. O grupo só teve três dias para ensaiar antes da exibição. Confira aqui a matéria divulgada no telejornal Bom Dia Brasil, da TV Globo.

Segundo notícia do site Cifra Club, a Royal Opera House já tem a cena I do primeiro ato concluída. Um resumo da parte finalizada foi divulgado: “William está preso em uma torre após ter sido sequestrado por  pássaros que querem se vingar por ele ter matado um dos seus. Hans prometeu resgatá-lo. A Mulher Sem Nome está no laboratório de bioquímica tentando criar uma poção que permita ao homem falar com os pássaros”. O resultado final será apresentado no Festival de Deloitte Ignite, entre os dias 4 e 6 de setembro.

Blogs jornalísticos aproveitam os recursos da web? – artigo

Conforme prometido: mais uma semana, mais um artigo.

Este tem por objetivo descobrir se três renomados jornalistas-blogueiros brasileiros utilizam as características do jornalismo online em seus blogs. Será que eles usam todos os recursos de web que têm à disposição ou escrevem textos que poderiam ser publicados em veículos impressos? Existe de fato uma mudança da forma tradicional de escrever e da maneira como os jornalistas colocam o conteúdo das notícias ao escreverem em blogs?

As Características do jornalismo online e sua utilização em três blogs jornalísticos foi escrito por Mônica Reolom em julho de 2009.

Persépolis contra Ahmadinejad e o dia em que o Twitter baleiou

Post dois em um. Dois fatos da semana que chamam a atenção e mostram como o virtual afeta “mundo real”:

Persépolis 2.0: nova versão dos quadrinhos serve como protesto às eleições iranianas
O romance gráfico de Marjane Satrapi – famoso mundialmente depois da adaptação ao cinema – ganhou nova versão online para narrar a onda de protestos e violência surgida no Irã depois das eleições de 12 de junho. A versão é de autoria de Sina e Payman, dois filhos de iranianos que não querem se identificar por medo de represálias. Persépolis 2.0 é feita com imagens originais do romance de Satrapi adaptadas a novas falas e escritos relacionados à atual crise no Irã, em tom de crítica à Ahmadinejad e à violência empregada para reprimir os protestos – o caso da morte da jovem Neda, inclusive, encerra a HQ.

HQ conta os protestos no Irã depois da reeleição de Ahmadinejad - Reprodução

HQ conta os protestos no Irã depois da reeleição de Ahmadinejad - Reprodução

Persépolis 2.0 vem sendo adotada como mais uma forma de manifestação na web para mobilizar a comunidade internacional em torno da causa iraniana, um meio eficiente para burlar a forte censura instalada no país. Persépolis 2.0 pode ser lida em http://www.spreadpersepolis.com/.

Sobre o uso das mídias sociais nos protestos no Irã, confira também: Twitter e eleições no Irã – artigo.

Twitter fora do ar: o alvo de ataque seria um blogueiro da Geórgia
Na quinta-feira (06/08), o serviço de microblogging Twitter ficou algumas horas fora do ar – o suficiente para deixar desnorteados (e irritados) milhões de usuários no mundo todo. O Google e o Facebook também fora alvos da ação dos crackers, mas tiveram menos problema com o ataque. Passado o incômodo, a surpresa mesmo veio hoje: as notícias que correm o mundo são de que um único blogueiro da Geórgia seria o alvo do ataque que fez o Twitter baleiar – ficar fora de serviço, na gíria da internet.

O site Facebook confirmou hoje à BBC que o ataque pretendia atingir o blogueiro Cyxymu, um ativista pró-Geórgia. O objetivo dos crackers seria silenciar o blogueiro na véspera da data em que o conflito entre Rússia e Geórgia completa cinco anos.

Sobre a importância e a fragilidade do Twitter percebidas depois desse caso, vale a pena conferir o post do Tiago Dória.

[Giuliana de Toledo]