Arquivo do mês: setembro 2009

E se as redes sociais invadissem as ruas?

O que aconteceria se você saísse por aí batendo de porta em porta para adicionar amigos? Ou se começasse a gritar seus tweets em praça pública?

Dois vídeos de humor para refletir sobre atitudes comuns nas redes sociais que fariam qualquer um parecer louco no “mundo real” (em inglês):

Facebook in reality – produção do grupo Idiots of Ants, exibida no programa The Wall da BBC.

Twitter in Real Life – estrelado pelo ator Dan Gurewitch, do grupo College Humor.

Anúncios

Programação do 22º Set Universitário

Atualizada em 24/09/09, às 0h11.

22° SET Universitário acontece na próxima semana/ Reprodução

22° SET Universitário acontece na próxima semana/ Reprodução

A Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS divulgou a lista de palestras do SET Universitário deste ano. A programação acontece de 28 a 30 de setembro no Campus Central da Universidade (Av. Ipiranga, 6681, bairro Partenon, em Porto Alegre). Durante o evento também acontece a mostra competitiva, na qual concorremos na categoria Jornalismo Online – Weblog, conforme contamos aqui.

Entre os convidados da 22ª edição do SET, estão nomes importantes do jornalismo brasileiro como João Moreira Salles (editor da revista piauí), e profissionais estrangeiros, como Miguel Cavatorta, diretor de Relações Públicas e Institucionais do Colégio Universitário IES Siglo 21 de Córdoba, Argentina. Toda programação é gratuita e não é preciso fazer inscrição para assistir às palestras (os que desejam certificado de participação, no entanto, precisam preencher o cadastro no site).

Em tempo: já está disponível o cronograma de oficinas que serão ministradas durante o SET. Para visualizar a lista, basta acessar a programação. As inscrições também são feitas pelo site e são gratuitas. Neste ano, os participantes recebem confirmação pelo e-mail.

Clique aqui para conferir o programa completo do evento.

No dia 30, quarta-feira, acontece a festa de encerramento do SET no bar Opinião (Rua José do Patrocínio, 834, no centro de Porto Alegre). Na ocasião, a Famecos abre espaço para bandas que quiserem se apresentar no evento. No total, quatro grupos serão selecionados para a festa. As inscrições vão até o dia 24 de setembro e podem ser feitas pelo site. Cada grupo precisa informar uma página na internet para as canções sejam avaliadas – no caso de não ter o trabalho disponibilizado na internet, os integrantes devem encaminhar um CD para o Laboratório de Eventos (sala 206 do prédio 7) até quinta-feira. O horário de funcionamento é das 14h às 17h.

A grande novidade deste ano será uma banda composta por professores da Famecos. A professora coordenadora Neka Machado faz segredo sobre os integrantes, mas aposta no sucesso e na renovação do evento.

Com informações do site oficial do SET Universitário e do Diário do Campus.

Nova rede social para conectar inventores

Projetos criativos e curiosos de várias partes do mundo em busca de colaboração /Reprodução

Projetos criativos e curiosos de várias partes do mundo em busca de colaboração/ Reprodução

Está no ar o Original Projects, possivelmente a novidade mais interessante dos últimos tempos em termos de comunidades virtuais que produzem resultados no “mundo real”. A nova rede social pretende conectar pessoas através de projetos e ideias criativas, formando equipes com um objetivo em comum.

Por enquanto, o site ainda está em fase de testes, aberto só para convidados. Contudo, já é possível conferir projetos engenhosos, como o da Fazenda Vertical, e preocupados com a preservação do meio ambiente, como a ideia dos minitáxis ecológicos. Na linha dos projetos estranhos, estão o Relógio para contar quantos drinks você já bebeu e o Relógio de Lego.

O único projeto brasileiro que está na rede social é o de Thais Ueda. O Crochet Jardin visa a expandir as vendas dos vasos de plantas de crochê pelo Brasil e pela América do Sul. Falando em América do Sul, o projeto Bike Journey planeja uma viagem de bicicleta motorizada desde Arizona, nos Estados Unidos, até Santiago, capital do Chile, somando 28 mil quilômetros. A aventura, que deve durar cerca de um ano, começa no próximo mês. O objetivo é mostrar que outros meios de transporte são viáveis.

Reprodução

Projetos para fazer o bem também ganham espaço/ Reprodução

Há também ideias voltadas para a solidariedade, como o aplicativo que confere o estoque de bancos de sangue e incentiva a doação, e o projeto que pretende pôr em circulação cartões postais com frases de ajuda mútua (lembra bastante a função da comunidade do Orkut Conte Comigo, que já mostramos aqui).

Original Projects é uma inovação em termos de redes sociais. Em vez de enumerar amigos, o site oferece a oportunidade de engajar-se em diferentes projetos de vários lugares do mundo. Se vingar, será muito provavelmente a maior fábrica de resultados reais construídos a partir de pessoas conectadas via web – não por acaso o tema central deste blog. Ficaremos de olho!

Veja a lista completa de projetos.

Quem ficou interessado em participar pode, por enquanto, cadastrar o seu e-mail para receber um aviso quando a rede for aberta ao público, fazer contato diretamente com os criadores (há um ícone na página de cada projeto) ou falar com a organização para tentar expor sua invenção desde já.

Voca People: hit do YouTube em turnê pelo Brasil

O grupo israelense The Voca People, que interpreta de Madonna a Beethoven, não teria nada de particular se não fosse o instrumento com que se apresentam: a voz, e nada além dela. A divulgação de vídeos na internet fez o Voca chamar a atenção do mundo e se tornar um dos hits no YouTube (um dos vídeos possui quase três milhões de exibições), o que faz dos isralenses um bom exemplo de como os artistas podem explorar a web para construir uma carreira de sucesso no mundo físico. Neste mês, o grupo faz a primeira turnê pelo Brasil. Em Porto Alegre, os shows acontecerão nos dias 13 e 14 de setembro, durante o Porto Alegre em Cena. Os ingressos para Porto Alegre já estão esgotados.

Segundo a explicação do grupo, o nome foi escolhido como referência ao Planeta Voca, no qual a comunicação se dá apenas através da voz. Os oito “aliens” teriam vindo à Terra para interpretar as músicas deste planeta e praticar sua maior habilidade: imitar sons.

Para a apresentação, os artistas vestem-se e pintam-se de branco, destacando apenas a boca com batom vermelho. A voz é o único recurso utilizado durante o espetáculo. Para isso, dois especialistas em beatbox – sons produzidos com a boca imitando instrumentos musicais, principalmente de percussão –, três cantoras (alt, mezzo, soprano) e três cantores (baixo, barítono, tenor) fazem performances e cantam à capela durante a apresentação. Após os shows em Porto Alegre, os israelenses seguem para Curitiba e Brasília, finalizando a turnê brasileira no Rio de Janeiro.

Confira abaixo as datas e preços dos shows no Brasil:

Porto Alegre
Onde: Salão de Atos Reitoria da UFRGS – Av. Paulo Gama, 110 – Fone: (0XX51) 3226-4213
Quando: 13 e 14 de setembro, às 21h
Quanto: R$ 20

Curitiba
Onde: Teatro Positivo – Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Fone: (0XX41) 3317-3107
Quando: 17 de setembro, às 21h
Quanto: R$ 120

Brasília
Onde: Teatro Nacional – Setor Cultural Norte, via N2 – Fone: (0XX61) 3325-6107
Quando: 18 e 19 de setembro, às 21h; 20 de setembro, às 20h
Quanto: R$ 120

Rio de Janeiro
Onde: Teatro Vivo Rio – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Fone: (0XX21) 2272-2902
Quando: 23 de setembro, às 21h
Quanto: R$ 120

Ópera montada via Twitter apresenta-se em Londres

No último final de semana, a Royal Opera House apresentou em Londres a primeira ópera do mundo criada pelo Twitter (já falamos aqui sobre a iniciativa). O projeto, que começou no dia 3 de agosto, resultou em um concerto de 20 minutos, exibido ao público nos dias 4, 5 e 6 deste mês, no Festival de Deloitte Ignite.

A trama gira em torno de um triângulo amoroso, formado por dois homens e uma mulher. A história ainda envolve um gato falante, um sequestro e alguma bioquímica. Apesar do enredo um pouco caótico, o diretor John Lloyd Davies – responsável por selecionar os tweets e dar seguimento à obra – assegura que o resultado teve mais consistência do que o esperado. “Nós inserimos narração para ligar um pouco mais a trama. E eu acho que a música ajuda a juntar tudo isso, mesmo quando a história parece um pouco caótica”, disse.

A música da ópera foi composta por Helen Porter e Marc Teitler. A dupla teve somente dois dias para finalizar a obra. Para conferir um trecho do libreto, clique aqui.

Para assistir a um vídeo do ensaio da ópera, clique aqui.

A ópera composta pelo Twitter teve boa aceitação entre os usuários do serviço de microblogging que participaram do processo. Contudo, Helen Woods, que assistiu à primeira performance, achou que os tweets foram muito editados. “No fim, nada do que eu escrevi sobreviveu, exceto as ideias”, lamentou. Para ela, a versão final trazia sugestões de apenas uma parte dos que contribuíram. “A ópera de várias pessoas tornou-se uma ópera de poucas. Ainda assim, foi uma experiência interessante”, acrescentou.

Sobre a qualidade da obra, Davies diz que essa não era a maior preocupação. “A internet é uma grande oportunidade para alcançar uma maior audiência e para atenuar as associações com a palavra ‘ópera’, de modo que as pessoas vejam que esta pode ser uma forma de arte muito mais acessível”, avalia.

Com informações da Deutsche Welle.

Fora Sarney: da internet para as ruas

A popularidade do movimento na web não garante grande adesão às passeatas. No 7 de Setembro em Porto Alegre, cerca de 10 pessoas compareceram à manifestação.

Giuliana de Toledo, Idiana Tomazelli e Mônica Reolom

Febre na ferramenta de microblogging Twitter, o movimento Fora Sarney expande suas atividades no “mundo físico” e tenta quebrar o rótulo de “revolução de sofá”. Depois de manifestações como a que levou 500 pessoas à Avenida Paulista, em São Paulo, o simbólico 7 de Setembro, data da Independência, foi escolhido para levar protestos às ruas em 18 cidades brasileiras. Em Porto Alegre, o pequeno número de participantes no feriado surpreendeu a organização: “Na primeira passeata foram trezentas pessoas, e na segunda, cem”, conta Moah Sousa.

Fora Sarney reúne poucos em Porto Alegre no 7 de Setembro

“Isso não é nem uma manifestação pacífica, é uma covardia”. Assim definiu o engenheiro Gilmar Roth, 52 anos, ao constatar os poucos que o acompanhavam no protesto em Porto Alegre. Somente cerca de dez pessoas compareceram ao Fora Sarney marcado para as nove horas da manhã, em frente à Câmara Municipal.

Clique aqui para conferir a galeria de fotos da manifestação.

Em Porto Alegre, manifestantes pediram a saída de Sarney

Em Porto Alegre, manifestantes pediram a saída de Sarney da presidência do Senado/ Idiana Tomazelli

Vestidos de preto, os manifestantes carregaram faixas pela Avenida Loureiro da Silva após o desfile militar. Ao longo do percurso, receberam aplausos dos que antes assistiam à parada, mas não conseguiram reunir mais pessoas na plateia.

Para um movimento organizado através da internet, o perfil dos manifestantes de Porto Alegre surpreende: a maioria dos que compareceram ao 7 de Setembro não era composta de jovens, como normalmente acontece em passeatas.

O número pequeno de manifestantes no feriado decepcionou a organização, que já conseguira juntar até 300 pessoas em Porto Alegre, segundo os cálculos do grupo. Para o organizador Moah Sousa, jornalista de 52 anos, o protesto nas ruas é decisivo para forçar a saída de Sarney. Para ele, a internet é uma ferramenta que ocupa o papel do antigo panfleto para divulgar as manifestações. “Só na internet não funciona, tem que ter manifestação física para dar resultado”, opina.

A pouca adesão no feriado, no entanto, não desanima o movimento na Capital. Segundo Moah, outras manifestações devem ser marcadas após um balanço do 7 de Setembro com representantes de outras cidades. Para o jornalista, a sequência de escândalos serve de motivação para os participantes dos protestos. “O governo continua fornecendo combustível para as manifestações”, justifica.

Confira no mapa abaixo o local da manifestação:

O desafio de ir às ruas

O que pode ser considerado um movimento de sucesso na internet, com mais de 13 mil seguidores no Twitter e repercussão da mídia, o Fora Sarney, no entanto, enfrenta dificuldades para reunir grande número de pessoas nas ruas. Os eventuais riscos que envolvem a participação em protestos físicos é um dos fatores que explica a diferença de público. “O investimento que as pessoas fazem no Fora Sarney via Twitter é muito pequeno em termos de tempo e esforço”, analisa Marcelo Träsel, professor de comunicação digital da PUCRS.

Pichação em muro da Avenida Osvaldo Aranha, em Porto Alegre

Pichação em parede da Avenida Osvaldo Aranha, em Porto Alegre/ Giuliana de Toledo

Ao mesmo tempo em que a internet facilita a adesão, o abandono da causa também pode ser mais simples, já que a cobrança do grupo é menor do que nos movimentos tradicionais. “É bastante esperado que no Twitter tenha um número muito grande de pessoas que se manifestem. Agora, o número daqueles que se dispõem a participar de uma ação mais coletiva, pública, de manifestação, tende a ser bem menor”, avalia Marcelo Kunrath Silva, professor de Sociologia da UFRGS.

Confira aqui um trecho da entrevista com Marcelo Silva.

A relação tolerante do brasileiro para com os escândalos da política também contribui para a desmotivação em participar de movimentos como o Fora Sarney. “A corrupção no Brasil tem um grau de naturalização, ou seja, é algo instituído. Todo mundo espera que o político roube”, diz Silva. O desfecho de casos como o Fora Collor – em 1992, protestos pediram o impeachment do então presidente Fernando Collor de Melo, que atualmente ocupa uma cadeira no Senado – pode ter contribuído para uma descrença no resultado de manifestações. “A população brasileira é muito crítica, mas uma crítica cética não mobiliza ninguém, pelo contrário”, define o sociólogo.

Apesar do número pequeno de pessoas nas ruas, em comparação com a adesão na internet, Träsel acredita que o movimento no Twitter, por si só, já consiga chamar atenção da mídia. Por ser um espaço que concentra muitos jornalistas, o microblog consegue “agendar” temas da imprensa. “Acho que isso é o que preocupa os políticos”, observa. A criação de uma página do Senado para responder reportagens contra Sarney poderia ser um efeito dessa repercussão, segundo ele. Träsel, no entanto, é cauteloso ao avaliar os possíveis efeitos da “revolução de sofá”: “A gente nunca vai saber, na verdade, até que ponto as mídias sociais influenciam nesse caso”.

Clique aqui para ouvir um trecho da entrevista com Marcelo Träsel.

A cultura brasileira de manifestação nas ruas também seria um entrave para que uma “revolução de sofá” consiga resultados palpáveis na política. “No Brasil e na França é muito tradicional a manifestação, as pessoas precisam ir para a rua”, explica Silva. O panorama, contudo, pode mudar no futuro: “A internet hoje ainda não está incorporada na nossa cultura política. Talvez isso vá avançar com a universalização e com a disseminação”, prevê.

Fora Sarney pelo Brasil no 7 de Setembro e a repercussão na mídia

Além de Porto Alegre, outras 17 cidades brasileiras tinham manifestações Fora Sarney planejadas para o 7 de Setembro, conforme o site oficial do movimento. Os protestos repercutiram na mídia nacional.

Em Brasília, 150 manifestantes, de acordo com a Polícia Militar, protestaram próximos ao palanque onde o presidente Lula assistia ao desfile de 7 de Setembro. Segundo matéria do Estadão, o grupo permaneceu até o fim do evento e chegou a enfrentar os policiais. O site do jornal O Globo conta até que um dos estudantes que participava da manifestação foi agarrado pelo pescoço por um PM.

No site de Zero Hora, o principal jornal do Rio Grande do Sul, foi noticiado o protesto ocorrido em Brasília durante o desfile militar. Contudo, não foi encontrada nenhuma informação sobre a manifestação em Porto Alegre na lista de notícias do site.

Em São Paulo, cerca de 300 pessoas reuniram-se na Avenida Paulista para pedir a saída do presidente do Senado. O protesto ocorreu por volta das 15h e, segundo o site do Estadão, não chegou a atrapalhar o trânsito na capital paulista.

Na cidade de Recife, os manifestantes do Fora Sarney juntaram-se a quem participava da 15ª edição do Grito dos Excluídos. Contudo, os pedidos pela destituição de Sarney e pelo fim do Senado foram feitos apenas por integrantes dos partidos PSOL e PSTU e pelos integrantes da central sindical Conlutas.

Outras notícias veiculadas sobre as manifestações:

No desfile de Sete de Setembro, estudantes protestam contra Sarney – Folha Online
Esquadrilha da fumaça divide atenção com manifestação contra Sarney – Correio Braziliense
Manifestações contra Sarney marcam o 7 de Setembro – Estadão
Jovens protestam contra Sarney em desfile de 7 de Setembro – Band

Entenda o Fora Sarney

José Sarney (PMDB-AP) é acusado de irregularidades na administração do Senado, contratação de parentes e desvio de dinheiro público por meio de uma fundação que leva o seu nome. Onze pedidos de investigação contra Sarney já foram arquivados pelo presidente do Conselho de Ética do Senado, senador Paulo Duque (PMDB-RJ).

Para reivindicar a saída de Sarney da presidência do Senado, o movimento Fora Sarney adotou a estratégia de espalhar notícias e mensagens de protesto acompanhadas pela tag #forasarney no Twitter. Um site, uma rede social e comunidades no Orkut e no Facebook também foram criadas para organizar o movimento e combinar protestos.

Para participar

Site oficial
Perfil no Twitter
Comunidade no Orkut
Comunidade no Facebook

Miss Orkut

As candidatas usaram aplicativo do Orkut para fazer campanha - Divulgação

As candidatas usaram aplicativo do Orkut para fazer campanha - Divulgação

O Brasil já tem a sua primeira “Miss Orkut”. O concurso Garota Social elegeu ontem a mais bonita do Orkut. Segundo a organização do evento, este é primeiro concurso de beleza dentro de uma rede social em todo o mundo – embora se saiba que não é de hoje que existem comunidades brasileiras do tipo “Vip’s do Orkut”, que promovem volta e meia uma votação da mais bela dona de perfil.

A Garota Social vencedora é Fernanda Paiva Diniz, 23 anos, do Rio Grande do Norte, eleita com 13.679 votos. Em segundo lugar, ficou a gaúcha Gianna Cremontti, de 26 anos, com 12.006 votos, e, na terceira posição, a paranaense Wandreza Carla Nogueira Basso, de 20 anos, que teve 11.610 votos. A “Miss Orkut” faturou um contrato com uma agência de modelos, além de R$ 2 mil em prêmios. A segunda e a terceira colocadas receberam, respectivamente, R$ 1 mil e R$ 600.

As dez candidatas finalistas foram selecionadas por voto popular entre todas as inscritas na primeira fase, em que qualquer uma podia se candidatar. Para votar, bastava ter uma conta no Orkut. As dez mais votadas ganharam uma sessão de fotos e a produção de um vídeo para turbinar a campanha para fase final do concurso, que também foi decidida pelo voto dos orkuteiros. A iniciativa do concurso não tem nada a ver com o Google. A responsável pelo Garota Social foi a empresa Mentez, que desenvolve aplicativos para redes sociais.

* Quem quiser saber mais sobre a Gianna, a candidata gaúcha que fez campanha dentro e fora da internet para o concurso, pode conferir a entrevista publicada no blog da Vanessa Nunes.

(com informações do blog Pense WWW)