Tubo de papelão e aquecimento global: quinzena de flash mobs no Brasil

Uma “guerra” de tubo de papelão no centro de São Paulo e um minuto de pessoas apontando para o mar em protesto ao aquecimento global: duas flash mobs bastante criativas estão na agenda brasileira desta primeira quinzena de dezembro. As ações são organizadas através da internet. Confira os detalhes da programação e saiba como participar:

Aquecimento global: dedos apontados para o mar: a ideia da flash mob é que a velha tendência de as pessoas olharem em direção ao lugar para o qual alguém está apontando faça todos encararem o horizonte por um minuto. A ação pode ser posta em prática em qualquer praia ou calçadão à beira-mar, ao meio-dia do próximo sábado, 5 de dezembro. Como o ato não deixa explícito o motivo da mobilização, os organizadores pedem que os participantes tirem fotos do momento e as enviem para ciclicca@yahoo.com.br, para ajudar na divulgação posterior da campanha. Outras informações em http://ciclicca.blogspot.com/

War Tube: uma “guerra” de tubo de papelão entre dois exércitos fictícios (Filhos de Musashi x Armada Arturiana) vai tomar conta do Elevado Presidente Costa e Silva (Minhocão), em São Paulo, a partir das 16h do dia 13 de dezembro, domingo. Apesar de intitulado “guerra”, o evento, segundo a organização, é de caráter pacífico. As regras descritas no Manual do Participante proíbem, por exemplo, a utilização de materiais duros ou que possam machucar. O objetivo é apenas a diversão. Ao final da flash mob, às 18h, os guerreiros deverão recolher seus tubos e armaduras de papelão, que serão encaminhados para a reciclagem. Para participar, é preciso fazer inscrição em um dos exércitos através do site http://www.wartube.com.br/.

[via mobrasilnews.com]

Anúncios

Dez anos de ativismo digital

O caderno Link, do Estadão, preparou uma matéria especial em função do aniversário de uma década do episódio dos protestos em Seattle (Estados Unidos) contra a reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), comemorado ontem, dia 30 de novembro. O movimento é considerado pioneiro no uso de ferramentas da web para fins de mobilização: uma espécie de semente dos recentes protestos via Twitter nas eleições no Irã e dos relatos de abuso feitos por blogueiros de países em regime ditatorial em todo mundo.

Leitura mais do que recomendada. Abaixo, reproduzimos um trechinho:

“Existiu uma época – sem YouTube, Flickr, Wikipédia, blogs ou qualquer ferramenta de autopublicação – em que colocar seu relato na internet era muito mais um ato de protesto do que qualquer outra coisa. Uma época em que se buscava uma nova forma de comunicação, mais livre de intermediários. […] Ao menos 40 mil pessoas, entre elas ativistas, membros de ONGs, sindicalistas, ambientalistas e anarquistas, reunidos sob uma organização descentralizada chamada de Direct Action Network (DAN), tomaram as ruas do centro de Seattle e furaram o bloqueio em torno do local onde a reunião acontecia. A manifestação ficou conhecida como N30 ou a Batalha de Seattle.”

Clique aqui para ler na íntegra

Leia também a análise do professor Sílvio Mieli, da PUC-SP, sobre o episódio de Seattle e o ativismo digital praticado hoje

Portal é dedicado a campanha de doação de sangue

Portal foi criado especialmente para incentivar a doação de sangue/ Reprodução

Na linha de mobilizações solidárias através da internet, os portais Interney Blog e Inblogs criaram o site Doe mais que um clique. A ideia é estimular as pessoas a fazer mais do que “revoluções passivas sem sair da frente do computador”, como informa o texto da página. Conscientizar os internautas a ajudar pessoas em geral por meio de doações de todos os tipos é o principal objetivo.

Inicialmente a campanha está focada na doação de sangue, mas os criadores colocam o portal à disposição de ações sociais em geral. Na seção Participe, quem quer ser voluntário pode encontrar uma lista dos locais de doação em qualquer região do Brasil.

Para quem possui o próprio site, blog ou conta em rede social, o Doe mais que um clique disponibiliza banners e logos que podem ser incorporados nas páginas. O portal também possui perfil no Orkut e no Facebook, além de página no Twitter e no Flickr.

No vídeo abaixo, os criadores do site, Marcelo Vitorino (cofundador do Inblogs) e Edney Souza (idealizador do Interney Blogs), contam em clima descontraído como surgiu a ideia e registram sua doação.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

 

Leia também: Campanha de doação de sangue pelo Twitter

Metrô de São Paulo tem festa combinada via web

No mesmo dia em que o Mercado Público de Porto Alegre fervilhou de gente dançando “Macarena”, o metrô de São Paulo foi cenário da primeira Subway Party organizada no Brasil. A mistura de flash mob com festa aconteceu no trajeto entre as estações Conceição e Tucuruvi durante a noite de sábado (21/11). Segundo a organização, 400 pessoas participaram.

A ação foi toda combinada através da web. Blog, Twitter, comunidade no Orkut e o bom e velho boca-a-boca virtual ajudaram a difundir a festa em “segredo”. Havia o temor de que, na hora H, a administração do metrô impedisse a realização da mob. Não houve proibição, só a música que teve de ser improvisada na cantoria dos participantes.

Confira abaixo um vídeo postado no YouTube:

Para participar, havia algumas regras básicas de conduta, como não importunar outros passageiros, não levar bebidas alcoólicas nem substâncias ilícitas e não vestir roupas vulgares ou ofensivas. Outro detalhe importante era agir normalmente enquanto o metrô estivesse parado nas estações. Festa, só em movimento.

Veja algumas fotos da festa em matéria publicada no Estadão

Flash mob de Macarena atrai multidão ao Mercado Público de Porto Alegre

O segundo piso do Mercado Público de Porto Alegre ficou lotado com a multidão que se reuniu para dançar ao som de “Macarena” no início da tarde de hoje. A mobilização foi promovida em segredo através internet.

Conforme comentamos aqui, havia toda uma surpresa em torno dessa flash mob. Pois bem, agora já podemos revelar: a ação fazia parte do Festival Internacional de Dança Mesa Verde. Detalhe: sem que os organizadores soubessem que o público faria parte da apresentação. Na programação oficial do evento (e assim imaginava a organização), seria apenas uma performance do Grupo Gaia intitulada “Abobrinhas Recheadas”. Às escondidas, o Gaia divulgou na rede a flash mob e colocou a plateia em cena. A ideia, segundo o grupo, era justamente mostrar que qualquer um pode se divertir dançando.

Confira abaixo alguns vídeos publicados no YouTube por quem esteve no Mercado:

Portal “Vote na Web” aproxima cidadãos de discussões políticas

Portal oportuniza ao cidadão conhecer e opinar sobre Projetos de Lei/Reprodução

Como você agiria se pudesse votar nos projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional? O recém-lançado portal Vote na Web permite que qualquer internauta dê a sua opinião sobre as propostas que estão na agenda de deputados e senadores.

Para participar, é preciso fazer um cadastro e criar o seu perfil. A partir daí, é só se informar bem sobre os projetos de lei e atribuir “sim” ou “não” às medidas. O sistema também faz o registro da votação oficial realizada pelos parlamentares. A ideia é que, a partir da comparação de suas preferências com a dos políticos, o cidadão consiga perceber mais claramente afinidades (ou divergências) com os seus representantes.

Vale destacar que os votos dos internautas não têm poder de determinar o resultado oficial das decisões do Congresso, são apenas índices de opinião – no máximo, podem se tornar uma espécie de termômetro para que os políticos avaliem como anda a popularidade das propostas. Da mesma forma, a criação do projeto é totalmente independente dos órgãos iniciais. A responsável pelo site é a WebCitizen, empresa privada que visa a aproximar cidadãos a partir da criação de uma ponte entre o mundo físico e o virtual.

Apesar de a proposta ser bacana, ela ainda é pouco conhecida – também porque o projeto é recente. O lançamento do site aconteceu no dia 14 de novembro, durante o TEDx São Paulo, evento que discutiu as novas ideias que o Brasil tem a oferecer em diversas áreas, como arte e tecnologia.

No entanto, a falta de uma página dedicada a explicar a finalidade do portal Vote na Web contribui para que os cidadãos – público-alvo da iniciativa – não tenham subsídios suficientes para compreender a ideia no todo. Até agora, o internauta só pode acessar as páginas dos Projetos de Lei, dos políticos, do arquivo de propostas votadas e do próprio perfil. A ausência de um texto explicativo acaba deixando dúvidas quanto ao funcionamento e o alcance da ação.

Greenpeace faz campanha na web para mandar recado a Lula

O Greenpeace – organização não-governamental voltada para campanhas de preservação do meio ambiente e de desenvolvimento sustentável em todo o mundo – quer mandar um recado para o presidente Lula. Mas não se trata de um recado qualquer.  Com a ajuda da doação de internautas, a ONG pretende levar a Brasília uma faixa capaz de cobrir um dos retângulos da Esplanada dos Ministérios (a previsão é que a faixa alcance quase 12 mil metros e pese uma tonelada e meia).

faixa

A mensagem completa só é revelada à medida que as doações são feitas/ Reprodução


O objetivo, segundo a organização, é cobrar uma participação ativa do Brasil na Convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Clima, que acontece em dezembro na cidade de Copenhague, Dinamarca. Os ativistas pretendem que a mensagem leve o governo a se comprometer na reversão do processo de aquecimento global.

Na tentativa de aproximar a população da causa, dando-lhe a oportunidade de colaborar via internet, está no ar uma réplica virtual da faixa que será exibida na capital federal. Os visitantes, contudo, ainda não podem vê-la na íntegra. A faixa foi dividida e coberta por mais de três mil pequenos retângulos verdes, que estão à venda na web. Cada pedaço custa R$15, e o pagamento é via cartão de crédito. A cada compra, uma parte da faixa é revelada, e o nome do comprador aparece em um balão quando se posiciona o mouse sobre o retângulo.

Curioso para saber o que a faixa diz? Você pode comprar seu pedaço e contribuir com a causa. Acesse o site e participe: http://junte-se-ao-greenpeace.org.br/bannerclima/index.htm

(via Link – Estadão)